Autismo

O que é autismo?  O que é transtorno do espectro autista?

 Transtorno do espectro autista (TEA) e autismo são ambos termos gerais para um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro. Esses transtornos são caracterizados, em diferentes graus, por dificuldades na interação social, comunicação verbal e não verbal e comportamentos repetitivos. Eles incluem transtorno autista, síndrome de Rett, transtorno desintegrativo da infância, transtorno invasivo de desenvolvimento não especificado (PDD-NOS) e síndrome de Asperger. Com a publicação do novo manual diagnóstico DSM-5 em maio de 2013, estes subtipos de autismo foram agrupados no diagnóstico de um guarda-chuva de TEA. Autismo pode ocorrer associado com deficiência intelectual, dificuldades na coordenação motora e atenção e problemas de saúde física, tais como distúrbios do sono e problemas gastrointestinais. Algumas pessoas com Autismo sobressaem-se em artes, música, matemática e habilidades visuais. O Autismo parece ter suas raízes no desenvolvimento inicial do cérebro. No entanto, os sinais mais evidentes de autismo e os sintomas do autismo tendem a surgir entre os 2 e 3 anos de idade.
 Uma campanha de publicidade da Autism Speaks salienta a importância de reconhecer os primeiros sinais de autismo e buscar serviços de intervenção precoce. Pesquisa recente confirma que uma verificação adequada pode determinar se uma criança está em risco de autismo a partir de 1 ano de idade. Mesmo sabendo que cada criança se desenvolve de forma diferente, também sabemos que o tratamento precoce melhora os resultados, muitas vezes drasticamente. Estudos mostram, por exemplo, que a intervenção comportamental intensiva precoce melhora aprendizagem, comunicação e habilidades sociais em crianças com perturbações do espectro autista. Uma das coisas mais importantes que você pode fazer como um pai ou responsável é aprender os primeiros sinais de autismo e familiarizar-se com os marcos do desenvolvimento típicos que seu filho deve estar alcançando.
 Os seguintes sinais podem indicar que seu filho está em risco de um transtorno do espectro autista. Se seu filho apresentar qualquer um dos seguintes itens, por favor, não demore em consultar o seu pediatra ou médico de família para uma avaliação:
  • Sem grandes sorrisos ou outras expressões efusivas, alegres aos seis meses ou mais;
  • Não imita sons, sorrisos ou outras expressões faciais aos nove meses;
  • Sem balbuciar aos 12 meses;
  • Não imita gestos como apontar, mostrar, pegar ou acenar aos 12 meses;
  • Sem palavras significativas aos 16 meses;
  • Frases com duas palavras sem sentido (não incluindo imitando ou repetindo) aos 24 meses;
  • Qualquer perda da fala, habilidades sociais ou balbuciar em qualquer idade.

 O M-CHAT (Checklist modificado de autismo em crianças) pode ajudar a determinar se um profissional deve avaliar o seu filho. Este questionário simples, disponível no site www.autismspeaks.org, leva apenas alguns minutos para ser preenchido. Se as respostas sugerirem que seu filho está em risco de autismo, por favor, consulte o médico do seu filho. Da mesma forma, se você tiver quaisquer outras preocupações sobre o desenvolvimento do seu filho, não espere. Fale com seu médico agora sobre a triagem de autismo para o seu filho.
 Estatísticas do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos identificam em torno de 1 em 88 crianças americanas no espectro autista – um aumento de 10 vezes na prevalência nos últimos 40 anos. Pesquisas criteriosas mostram que este aumento só em parte é explicado pela conscientização e diagnóstico melhorado. Estudos também mostram que o autismo é quatro a cinco vezes mais comum entre meninos do que meninas. Estima-se que 1 em 54 meninos e 1 em 252 meninas são diagnosticados com autismo nos Estados Unidos. Autismo afeta mais de 2 milhões de indivíduos nos Estados Unidos e dezenas de milhões em todo o mundo. Além disso, as estatísticas de autismo do governo sugerem que as taxas de prevalência aumentaram de 10 para 17 por cento anualmente nos últimos anos. Não há nenhuma explicação estabelecida para este aumento contínuo, embora diagnóstico melhorado e influências ambientais sejam duas razões frequentemente consideradas.

Traduzido por Isa Pinto Martins e Adriano Silva Rocha